Justiça aceita liminar e suspende cobrança por bagagem

13 . março . 2017

Hey!
Good news!

A Justiça Federal deferiu o pedido de liminar enviado pelo Ministério Público Federal que suspende a aplicação da cobrança por despacho de bagagens, prevista pela resolução 400/2016 da Agência Nacional De Aviação Civil (Anac). A decisão foi publicada no site do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MS), nesta segunda-feira (13) e cabe recurso.
O juiz federal José Henrique Prescendo, responsável pela análise do pedido de liminar, considerou que a prática deveria passar por debates, por se tratar de uma medida de interesse geral. “Qualquer alteração desta realidade fática deve ser amplamente discutida na sociedade através de novas audiências públicas, com a participação dos interessados (empresas aéreas, ANAC, instituições de defesa do consumidor e o MPF), possibilitando, eventualmente, um termo de ajustamento de conduta que seja satisfatório para todos”, destacou.

O magistrado também aceitou o argumento que aponta a prática como venda casada, tendo em vista que o consumidor teria que, evidentemente, contratar a franquia de bagagem com a mesma empresa com a qual adquiriu a passagem aérea.

A falta de um benefício claro ao consumidor também foi abordada. “Não existem parâmetros seguros que permitam calcular os percentuais que correspondem ao custo do transporte do passageiro e ao custo do transporte da bagagem, que possibilitem uma cobrança separada, sem prejuízo para o consumidor, o que o torna vulnerável a eventuais práticas abusivas por parte das grandes companhias aéreas brasileiras, que dominam o mercado”, compelta.

No pedido, o MPF considera abusiva a cobrança pelo despacho e argumenta que as mudanças ferem o direito do consumidor. “A resolução nº 400, ao permitir a limitação da franquia de bagagem, destoa de seu fim precípuo de existir, pois não tutela os consumidores e acentua a assimetria entre fornecedor de serviço e consumidor. Não restam dúvidas serem abusivas as limitações impostas pela mencionada resolução, deixando o consumidor em situação de intensa desvantagem”, escreveu o procurador da República Luiz Costa, autor da ação civil pública que pede a anulação.

As demais regras da resolução da Anac forma mantidas, como o direito de desistência e a mudança de horário de voo, sob o fundamento de que não ofendem a legislação de defesa do consumidor. O novo formato entra em vigor partir desta terça-feira, dia 14
Confira o despacho na íntegra:

“A referida resolução dispõe, no caput de seu artigo 13, que o transporte de bagagem despachada configurará um contrato acessório oferecido pelo transportador, sendo permitido, nos termos do caput do artigo 14, uma franquia mínima de 10 (dez) quilos de bagagem de mão por passageiro, que poderá ser restringida pelo transportador, por motivo de segurança ou capacidade da aeronave. O Ministério Público Federal alega, basicamente, que essa desregulamentação acarreta prejuízos ao consumidor, no caso das bagagens despachadas ( artigo 13), bem como que não há critérios objetivos que evitem abusos por parte das companhias transportadoras quando houver redução da franquia de 10 quilos para as bagagens de mão( artigo 14, 3º).

Com a inicial vieram os documentos de fls. 12/97.Às fls. 102/126 A ANAC presta informações ao juízo, sustentando, em síntese, a legalidade da Resolução 400/2016, em especial os dispositivos ora questionados, sob o fundamento de que os mesmos não ofendem a legislação de defesa do consumidor, bem como que propiciarão a redução dos preços das passagens a quem não pretender despachar bagagem. É o resumo dos fatos. Decido.Afasto, incialmente, a alegação de prevenção desta ação com a Ação Civil Pública nº 0816363-41.2016.4.05.8100, em tramite perante a 10ª Vara Federal de do Ceará, localizada em Fortaleza, considerando que aquela ação foi proposta pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, de tal forma que tem sua abrangência restrita à área de atuação da entidade autora, no caso o Município de Fortaleza (CE). Não obstante, noto que naquela ação o órgão Autor pretende a suspensão dos artigos 3º, 4º 2º, 9º, 11 e 19, da Resolução 400/2016, sendo que nesta ação pretende-se a suspensão dos artigos 13 e 14º 2º, da mesma resolução, de maneira que, em princípio, ou seja, antes de uma análise mais aprofundada do pedido contido na petição inicial daquele feito, não vislumbro a alegada conexão.

Pela mesma razão não vejo como acolher a alegação de eventual prevenção dos juízos federais do Distrito Federal ( 4ª Vara) e de Pernambuco( 9ª Vara), os quais, pelo que consta, declinaram da competência para a 10ª Vara Federal do Ceará.Afasto, portanto, por ora, esta questão preliminar. Passo a analisar o pedido de liminarPERICULUM IN MORAA necessidade de apreciação da tutela de urgência encontra-se presente considerando-se que a resolução questionada passará a produzir efeitos concretos a partir de amanhã ( 14/03), após o que os passageiros já estarão sujeitas ao pagamento da taxa de despacho de suas bagagens, cuja restituição, em caso de procedência do pedido, será muito demorada e eventualmente não compensará a execução individual da sentença, não obstante a grande quantidade de passagens aéreas que são vendidas diariamente, para milhares de passageiros das mais diversas localidades. FUMUS BONI IURISAs alegações do MPF são relevantes.

É dever do Estado promover a defesa dos direitos e interesses dos consumidores, nos termos do disposto nos artigos 5º, inciso XXXII, e 170, inciso V, ambos da Constituição Federal, bem como da Lei 8.078/90.Esse dever visa proteger o consumidor, presumido pela Constituição como a parte mais vulnerável na relação de consumo, principalmente quando o fornecedor estiver adquirindo bens e serviços de grandes organizações empresariais, dentre as quais se incluem, evidentemente, as companhias aéreas. Portanto, considerando esse enfoque, entendo que é dever da ANAC regulamentar e assegurar aos consumidores de passagens aéreas, um mínimo de direitos em face das companhias aéreas, o que não ocorre no caso dos dispositivos ora questionados, contidos na Resolução 400/1016, que deixam o consumidor inteiramente ao arbítrio e ao eventual abuso econômico por parte daquelas empresas, vez que permite a elas cobrarem quanto querem pela passagem aérea e, agora, também pela bagagem despachada, no quanto eliminou totalmente a franquia que existia. Mesmo o dispositivo que amplia de 5 quilos para 10 quilos a franquia da bagagem de mão, não representa uma garantia para o consumidor, uma vez que esta franquia pode ser restringida pelo transportador, fundamentado na segurança do voo ou da capacidade da aeronave, sem que tenham sido previstos critérios objetivos que impeçam a utilização dessa restrição de forma abusiva, como, por exemplo, nos casos em que a companhia aérea tenha dado prioridade ao transporte de cargas em detrimento do transporte das bagagens.

Aparentemente o ato da ANAC ( uma Autarquia Federal), consistente em liberar as cobranças por bagagens despachadas, contraria esse dever do Estado, na medida em que impõe aos passageiros um ônus financeiro adicional nas viagens, consistente em pagar uma taxa extra pela bagagem despachada, sem direito a qualquer franquia, exceto para a bagagem de mão, promovendo com essa medida não os interesses dos consumidores e sim das empresas de transporte aéreo de passageiros. De fato, o custo do transporte das bagagens dos passageiros já está incluído no preço das passagens, podendo-se considerar como sendo inerente a esse tipo de serviço, ao menos no Brasil, principalmente nos trajetos longos , nos quais o despacho de bagagem é um procedimento necessário para o viajante, pois não se mostra razoável incluir na bagagem de mão itens como roupas, calçados, objetos de higiene pessoal, remédios, etc, devendo ser considerado também, o fato de que vários desses objetos não podem ser incluídos nessa bagagem em razão de proibição legal, como é o caso, por exemplo, dos líquidos acondicionados em vidros ou plásticos.

Por outro lado, considerar a bagagem despachada como um contrato de transporte acessório implica em obrigar o consumidor a contratar esse transporte com a mesma empresa que lhe vendeu a passagem, caracterizando a prática abusiva de venda casada vedada pelo Código de Defesa do Consumidor (inciso I do artigo 39), pois ninguém iria comprar a passagem por uma companhia e despachar a bagagem por outra. Observo, ainda, que no Brasil não é costume dissociar o contrato de transporte de passageiros do transporte de bagagens, o que ocorre não apenas no transporte aéreo como também no transporte terrestre.

Em razão disso, presume-se que no preço atual das passagens aéreas já se encontra incluído o custo do transporte das bagagens (dentro dos limites das franquias), inexistindo evidências de que essa dissociação trará efetivamente redução no preço das passagens de quem não tiver bagagem para despachar. Há apenas uma suposição da ANAC de que isto venha a ocorrer. Todavia, na prática será muito difícil constatar isso, uma vez que o preço das passagens varia muito conforme a companhia aérea, o dia da semana, a proximidade do voo, o fato de ser realizado em feriado prolongado, o trajeto ou o horário. Por outro lado, não existem parâmetros seguros que permitam calcular os percentuais que correspondem ao custo do transporte do passageiro e ao custo do transporte da bagagem, que possibilitem uma cobrança separada, sem prejuízo para o consumidor, o que o torna vulnerável a eventuais práticas abusivas por parte das grandes companhias aéreas brasileiras, que dominam o mercado.

A propósito, segundo as notícias que estão sendo divulgadas pela imprensa, essa cobrança será por um valor fixo até o limite de 23 quilos nos casos dos voos domésticos, mesmo que a bagagem pese muito menos que isso. Portanto, faltam também nesse aspecto, critérios objetivos que protejam o consumidor de eventuais abusos por parte das companhias aéreas. Reconheço que sob o ponto de vista de uma teoria econômica, se poderia afirmar que as alterações em foco são justas na medida em que, em tese, permitem que o consumidor que não pretenda despachar sua bagagem, pague uma passagem menor.

Porém, é atribuição do Poder Judiciário garantir a eficácia plena dos dispositivos constitucionais que consideram dever do Estado promover a defesa dos direitos e interesses dos consumidores, dever este que, como dito, abrange também os Poderes Executivo e Legislativo. Nesse sentido, não pode a ANAC, como entidade integrante da estrutura do Poder Executivo, editar resolução que ignore esse dever do Estado, cuja eficácia presume a existência de normas que assegurem ao consumidor um mínimo de direitos que não dependam das boas intenções dos fornecedores e ou dos prestadores de serviços, representando tais direitos, os limites da liberdade de iniciativa. Por fim, o mesmo ocorre em relação ao 2º do artigo 14, que por não conter os critérios objetivos que permitem às empresas aéreas reduzir o limite de bagagem de mão por motivo de segurança e capacidade dos aviões, também deixa o consumidor desprotegido, possibilitando práticas abusivas.

Assim, qualquer alteração desta realidade fática deve ser amplamente discutida na sociedade através de novas audiências públicas, com a participação dos interessados (empresas aéreas, ANAC, instituições de defesa do consumidor e o MPF), possibilitando, eventualmente, um termo de ajustamento de conduta que seja satisfatório para todos. Nesse sentido, vejo como questão passível de acordo, os limites atuais de franquia. Isto posto, concedo a liminar, suspendendo a vigência dos artigos 13 e 14 2º da Resolução 400/2016, até ulterior decisão judicial, ficando mantida, por ora, as franquias em vigor, ou seja, 23 (vinte e três) quilos para voos domésticos e duas malas de até 32( trinta e dois) quilos, para os voos internacionais. Intime-se, com urgência, a ANAC para o fiel cumprimento desta decisão, tornando-a pública para as empresas de transportes aéreos de passageiros, inclusive através de mídia eletrônica.
Publique-se. Intime-se. Cite-se.

ão Paulo, JOSÉ HENRIQUE PRESCENDO Juiz Federal”

Fonte: Mercado e eventos

18 aplicativos de viagem que você deve ter em seu smartphone!

05 . junho . 2016

Hey pessoal!

Como vai?

O assunto hoje é tecnologia! Sim, como usá-la a nosso favor em viagens através de vários aplicativos gratuitos e pagos. E o melhor/; ao alcance dos dedos…

Há diversos apps gratuitos e pagos para seu smartphone, e é claro que isso você já sabe! Dãhhh! Mas alguns são aparentemente inúteis, enquanto outros podem salvar a sua vida!

Como são tantos aplicativos para viagens grátis, é difícil saber qual aplicativo vale a pena ter, afinal você não vai querer lotar a memória do seu celular com apps sem utilidade. Por isso, dei uma filtrada para você baixar os melhores aplicativos para viagens e ter certeza de que eles merecem a memória que irão ocupar no seu tel.

Eis a minha lista, após pesquisar e testar:

1. CouchSurfing (Aplicativo gratuito no Android e iPhone)

O nome significa “navegando no sofá” e essa será a forma mais barata para você se hospedar. CouchSurfing é uma comunidade baseada na confiança mútua, pois somente assim você será convidado para se acomodar na casa de alguém e você poderá retribuir a estadia para alguém de sua rede de contatos. O app está disponível em português, mas o domínio do inglês ou do idioma do país que se pretende, faz-se necessário. O melhor desse aplicativo são as pessoas e as afinidades de cada um: seja você um surfista ou amante das artes, estudante ou empresário, gay ou não, sozinho ou acompanhado, você terá o conhecimento inestimável de quem conhece o vilarejo, povoado, cidade ou a metrópole onde está o sofá em que você vai descansar no fim do dia. O sofá pode ser literário, mas você pode ter ótimas surpresas.

2. Foursquare (Aplicativo gratuito no Android, iPhone, BlackBerry, WindowsPhone, Symbian, etc)

Esse aplicativo é o Facebook dos destinos: você faz o check-in em qualquer lugar, seja um país, cidade ou um café e acumula pontos com isso. O mais interessante é ler as críticas de pessoas reais sobre locais específicos e deixar também seu comentário a respeito de sua experiência. Assim como todas as redes sociais, você poderá adicionar seus amigos e convidar novos, além de compartilhar sua atividade nas redes tradicionais como Facebook, Twitter e BBM, caso você faça uso. É uma ótima forma de deixar registrado o progresso de sua viagem e manter contato com amigos e familiares. Disponível em português.

3. WhatsApp (Aplicativo grátis no iPhone, Android, BlackBerry, Windows Phone e Nokia)

Conhecido de muitos, mas essencial mesmo quando se está no exterior: se você viaja acompanhado por mais de uma semana, com certeza você vai acabar se desencontrando de seu acompanhante, seja propositalmente ou não. É aí que WhatsApp vai ser a melhor forma de vocês se comunicarem. Seja para marcar ou remarcar compromissos sem necessidade de fazer uma ligação. Basta encontrar um Wi-Fi gratuito. Disponível em português.

4. Kindle (Aplicativo grátis no Android, iPhone & iPad, BlackBerry e Windows 8)

“Levar dois tablets nas suas férias? Quando eu só quero ler…” Bem, agora você pode deixar o seu Kindle em casa, graças ao aplicativo Kindle, que transforma seu iPad num e-reader, atualizando automaticamente o seu mais recente livro do seu Kindle. Além de integrar perfeitamente com o site da Amazon. Disponível em português.

5. Evernote (Aplicativo grátis no iPhone & iPad, Android, BlackBerry e Windows 8)

Evernote armazena todo o tipo de informação – escrita, gravações de voz, filmes, fotografia – e os sincroniza em todos os seus dispositivos. Tornando-se não só um caderno de anotações indispensável para levar com você na sua viagem, mas também uma ótima ferramenta para manter as suas memórias de todos aqueles momentos incríveis. Disponível em português.

6. Airbnb (Aplicativo grátis no Android, iPhone & iPad)

Linda Edstrand, nossa gerente bem-viajada dos países escandinavos, como também outros aqui no Skyscanner, apontaram os 10 melhores aplicativos de viagens o aplicativo Airbnb foi reincidente. O app permite que as pessoas anunciem, descubram e façam reservas de uma acomodação em qualquer lugar do mundo. Disponível em português.

7. Google Translate (Aplicativo grátis no Android e iPhone)

Não seria ótimo se você pudesse pedir uma cerveja, chamar um táxi ou discutir política com os residentes onde quer que você esteja? Bem, agora você pode. Graças a este aplicativo de suma importância, você não só evita ter que levar toda uma biblioteca de frases na sua mochila, você nunca mais terá a língua presa novamente. Disponível em português.

8. HotelTonight (Aplicativo grátis no iPhone & iPad e Android)

Está buscando passagens aéreas ainda não sabe aonde vai se hospedar? HotelTonight é a dica certa para os melhores hotéis com os melhores preços, pois quarto de hotel vazio durante a noite é com certeza prejuízo. É claro que você não viaja assim de última hora, mas você se espanta com as oportunidades oferecidas pelo aplicativo. Disponível em inglês com cobertura em Amsterdã, Dublin e várias cidades do Canadá, dos EUA e do Reino Unido.

9. Wikitude (Aplicativo grátis no iPhone & iPad, Android, BlackBerry e Windows Phone e Symbian)

O aplicativo original da realidade aumentada, Wikitude “permite que você veja coisas que normalmente não são visíveis”. Obviamente não são fantasmas, mas sim as avaliações de hotéis e as informações sobre atrações históricas por exemplo. Basta apontar o seu telefone em seu alvo e até aparece a revisão de uma estrela dizendo que ‘não ficar aqui “.

10. XE Converter (Aplicativo grátis no Android, iPhone & iPad, BlackBerry e Windows Phone)

Não sabe se estão lhe passando a perna? Precisa de uma rápida cotação do dólar ou do euro? Converta qualquer moeda com essa calculadora grátis que mostra taxas e gráficos atualizados instantaneamente. Disponível em inglês, francês e coreano.

11. VerbalizeIt (Aplicativo grátis no Android, iPhone & iPad)

Este aplicativo ajuda viajantes navegar as barreiras linguísticas proporcionando acesso em tempo real a uma comunidade global de tradutores humanos através de um aplicativo. Não sabe como explicar direções para o taxista em mandarim? Este aplicativo vai lhe ajudar. Disponível em inglês

12. TimeOut city guides (Aplicativo grátis no iPhone & iPad e Android)

Infelizmente, o aplicativo TimeOut possui guias apenas para Londres, Paris, Nova York e Zagreb no iPhone e Londres também no iPad e Android, mas esse guia veterano prometo mais cidades serão lançadas em breve. Os guias que eles fizeram até agora fazem jus, por isso pode esperar mais do mesmo padrão. Disponível em inglês.

13. Goodreads (Aplicativo grátis no iPhone & iPad e Android)

Se você não sabe qual livro ler numa espreguiçadeira debaixo de um guarda-sol, Goodreads oferece exatamente a inspiração que você procura, seja um drama ou comédia. Confira comentários e análises de seus amigos e ratos de biblioteca. Divirta-se com os extras do tipo “guess the first sentence”. Disponível em inglês e italiano.

14. Expense Manager (Aplicativo grátis no Android)

Este aplicativo estende a mão-de-vaca amiga para quem está desajustado à austeridade fiscal dos últimos tempos, facilitando o gerenciamento de vários orçamentos enquanto viaja. Um recurso bacana é a possibilidade de digitalizar os recibos de suas despesas para evitar questionamentos do financeiro da sua empresa sobre o valor das caipirinhas ainda no saguão do aeroporto. Disponível em inglês.

15. Flight+ (Aplicativo grátis no iPhone & iPad)

Recomendado por muitos dentro e fora do Skyscanner, permite que você rastreie todas as aeronaves disponíveis no mundo todo em tempo real numa interface intuitiva. Disponível em português.

16. TourWrist (Aplicativo grátis no iPhone & iPad)

Há uma variedade de apps de fotografia no mercado, mas o ponto forte do TourWrist é que, além de ser capaz de compartilhar fotos imediatamente, você pode criar panoramas 360 graus para você invejar seus amigos ciumentos quando voltar para casa. Disponível em inglês.

17. Urbanspoon (Aplicativo grátis no iPhone)

Em vez de gastar meia hora numa cidade desconhecida procurando um lugar para comer, e por fim acabar com uma má digestão ou com um péssimo serviço, deixe Urbanspoon escolher um restaurante para você após selecionar um bairro, gastronomia e uma faixa de preço. Ele vai desenterrar um tesouro escondido. Disponível em inglês com cobertura nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Reino Unido e Irlanda.

18. Packing Pro (US$ 3 no iPhone & iPad)

A caminho de uma despedida de solteiro na Ilha do Mel? Quer um empurrãozinho a respeito do que levar na mala? Basta inserir o seu tipo de viagem que o app lhe fará algumas sugestões. Ele também oferece a possibilidade de registrar o que você já colocou na mala para que não adicione outro par de havaianas desnecessário. Disponível em inglês, francês, espanhol, chinês, alemão, italiano e japonês.

Espero que seja de grande ajuda!

Um final de semana em Tiradentes – MG

07 . outubro . 2015

Hey pessoal!

Quem leu o meu último post sobre a minha trip a Ilha Grande viu o que aconteceu…

E como eu não aprendi a lição…

Era um lindo sábado de inverno e saímos de casa no Rio de Janeiro às 9 horas da manhã e no meio do caminho, sim, já na estrada, decidimos qual seria o nosso próximo destino  e assim, seguimos rumo à Estrada Real em Minas Gerais.

Confesso que não vi  vestígios conservados de que o ouro por ali passava ou que a família real abriu aquelas estradas, pois além dos marcos a cada 3km, não há uma placa contando a história daquela estrada e/ou daquele trecho, senti uma carência desta riqueza de informações e história. Chegamos em Tiradentes por volta das 16hrs, fomos sem pressa e paramos para almoçar na estrada.

E mesmo eu sendo agente de viagens, ao decidir o destino não nos preocupamos em verificar vaga nas pousadas, simplesmente pensamos: – Ah! Está frio e é baixa temporada , vamos chegar e lá e descolamos uma pousada!

Nananinanão! Tolinhos que somos, ao chegar na cidade, a mesma estava lotada, pois advinhem: estava acontecendo um Festival de Gastronomia e Cultura do Bradesco em parceria com o Senac ,Tradicionalíssimo, com 10 dias de duração  e que reúne chefs e personalidades  da gastronomia nacional e internacional e obviamente a cidade estava lo-ta-da! Mas não desistimos, e fomos mais para fora do centrinho, uns 800 metros e Voilà, achamos uma pousada EL TORO cujo a dona é uma Sra muito amável e simpática , por R$250,00 com direito a café da manhã que por sinal foi maravilhoso, o melhor pão de queijo mineiro que já comi na vida! A pousada é simples, mas aconchegante. Tomamos um banho e partimos para a cidade, que tinha gente para tudo quanto era lado com as suas taças na mão e garrafas de vinho. O festival era muito bem montado, tinham Workshops, degustações, exposições, shows e espetáculos culturais. O evento estava muito bem organizado e com wi-fi free na região do evento, ueba!!!

O que falar da cidade: Sabe Paraty? Então, é bem parecido na arquitetura, estrutura e lojinhas, só que sem as  praias. kkk O centrinho é um pouco menor que Paraty, mas há muitas lojas de Souveniers e artesanato em ferro, madeira de demolição e pedra sabão. Há opções de restaurantes para todos os gostos e bolsos. E movimentação intensa, as lojas abrem as 10hrs e fecham às 23hrs, dá pra comprar até cansar. $$$$$

Já a vizinha São João Del Rey embora não menos linda, é mais grandona, não lembra os tempos antigos, o centro tem umas pontes que lembram Florença e o centrinho,uma igreja linda e imponente, mas é só! Não tem lojinhas de souvenirs, restaurantes, pois como é uma cidade relativamente grande, o comércio é amplo e bem espalhado, não é concentrado como em Tiradentes, mas vale a visita.

Ficamos só 1 noite em Tiradentes, mas recomendo 2 (duas) para conhecer a cidade e seu entorno.  Vale fazer o passeio de Maria Fumaça a São João Del Rey, não fizemos, mas sai às Sextas e sábados 13 e 17hrs e Domingos às 11 e às 14hrs. A melhor agência que nos indicaram para este passeio foi a Tiradentes Estrada Real – WWW.tiradentesestradareal.com.br. Vale a consulta quando for programar!

Então, já que te passei um resuminho, dá uma olhada nesta trip com vídeos e fotos, simbora!

MAPA DA CIDADE:

MAPA DE TIRADENTES MINAS GERAIS

Para você que pretende ir, prepare o bolso porque existem muitos pedágios na estrada, no caminho de ida gastamos: R$85,00 de pedágio. Na volta, como nos perdemos – kkkkk- , acabamos fazendo um outro caminho com menos pedágios – Obaaaa!- .

Então, vem comigo!

 

Uma bitoca e até logo!

Por onde andei – Campos do Jordão

16 . junho . 2015

Olá people!

Como estão todos?

Eu vou muito bem, obrigada! O destino de hoje é Campos do Jordão, eu passei 1 dia lá quando estava fazendo curso para guia de turismo, em 2007. Nesta época eu não tinha o blog e não fazia muitos registros, mas prometo voltar lá, ficar 1 final de semana e fazer um vlog completaço.

fotos 022

Destino: Campos do Jordão é um cidade de São Paulo, que alia boa gastronomia, hospedagem, pontos turísticos e atividades. Campos do Jordão desenvolve seu turismo até mesmo nos meses de baixa temporada promovendo eventos como a Festa da Cerejeira, a Festa do Pinhão, Festa da Hortênsia, Natal na Montanha, Festival Gastronômico da Cozinha na Montanha, Quinzena da Aventura, além de receber espetáculos musicais e culturais nos feriados e nos finais de semanas de fevereiro a junho e de setembro a novembro. Buscando sempre melhorar para estar sempre atendendo o público que busca conhecer, desbravar, contemplar ou apenas descansar em meio as montanhas.

Campos do Jordão é com certeza o destino certo a ser visitado o ano inteiro, para cada estação do ano a cidade se enche de cores e com o clima bem determinado em cada época do ano permite aos visitantes contemplarem sua beleza e ter momentos inesquecíveis. Porém é nos meses de abril a julho que Campos do Jordão ganha muito destaque, quando as temperaturas têm uma considerável queda e faz com que a cidade ganhe um clima convidativo.
E por falar em clima: O ano todo podemos considerar entre 10ºC e 25ºC, havendo alguns picos para mais ou para menos, depende do ar. Apenas entre Abril e Julho que o termômetro encontra-se entre 5 á 10ºC, onde se dá início a Temporada de Inverno.

Melhor Época: Em Julho, devido ser a alta estação e haverem os festivais de Inverno na cidade. Apesar de que, durante o ano Campos do Jordão também é uma cidade linda com um clima agradável.

Telefones úteis:
DDD: 012
Aeroporto Internacional Guarulhos (Cumbica) : 6445-2945
Aeroporto Congonhas: 5090-9000.
Bombeiros: 193
Disque Denúncia Polícia Civil: 181
Polícia Civil: 197
Polícia Militar: 190
Polícia Rodoviária Estadual: 198
Polícia Rodoviária Federal: 191SAMU: 192
Pronto Socorro Municipal: (12) 3662 4978
Secretária de Turismo : (12) 3664-3525
Roupas e acessórios indicados:

No Inverno – Cachecóis, gorros, luvas, fuseau, malhas e casacos de frio; já que nessa época do ano, o início da manhã, fim de tarde e noite as temperaturas são baixas com possibilidade de geadas. Durante o dia, forte presença de sol, porém há necessidade de uma blusa mais quentinha, principalmente em locais com muita sombra, devida a sensação térmica mais fria.

No Verão – dá para aproveitar manhãs de forte presença do Sol que faz com que o visitante use bermuda, camiseta, mas ao final da tarde, as ocorrências de fortes chuvas, com curta duração de tempo, portanto vale trazer uma roupa de meia estação, já que após a chuva há uma leve queda de temperatura.

Mínimo de dinheiro: R$ 100/dia

O que fazer: Uma das delícias de Campos do Jordão é poder saborear a infinidade de combinações que o chocolate local ganha, indo desde o chocolate quente, passando por drágeas, acompanhados com frutas, fondues e os eternos tabletes. Os chocolates, ganham um verdadeiro recanto, porque são fabricados de forma artesanal que prioriza a qualidade e o melhor sabor que o chocolate pode ter, permitindo uma sensação única e realmente muito especial. As malharias de Campos do Jordão são uma atração a parte, não importa a estação que você vá às montanhas, com certeza você encontrará produtos que realmente lhe agradam quanto a preço e qualidade, lembrando que há confecções que lançam coleções que realmente se destacam na hora de enfrentar os dias de baixas temperaturas, do mesmo modo seguindo algumas tendências do mercado, mas com o toque especial da cidade.

ciethjun07 090

Passeios:

Bondinho e trenzinho – Andar no Bondinho Urbano é voltar ao passado. O passeio é muito agradável e permite uma visão completa da estrutura de Campos do Jordão. A viagem de ida e volta dura aproximadamente 40 minutos, partindo da Estação de Vila Capivari (construída em estilo alpino), passando pelas Vilas Jaguaribe e Abernéssia, indo até a Parada São Cristóvão, do outro lado da cidade. Nos dias mais frios, deve-se levar um agasalho, porque o vento pode ser cortante. Ah! O cachorro nos acompanha durante toda a viagem!

ciethjun07 087

Morro do camelo: Circuito de aproximadamente 2 horas de duração, com vistas para o Vale do Paraíba, Parque Estadual do Fojo, Parque da Ferradura, e pelo município de Pindamonhangaba. O roteiro possui alguns atoleiros bem interessantes. No Parque da Ferradura, existe um trecho de erosões bem bonitos, dando seqüência a um downhill com inclinação próxima a 45º, podendo, subi-la, o que poucos 4×4 conseguem fazer. A vista panorâmica deste roteiro é de muito verde, com imensos vales de Araucária  e muitos morros com vegetação de campos de altitude, atingindo vistas do sul de Minas.

Palácio do Governo: Foi neste ponto turístico que o badalado Festival de Inverno começou. Ele sediou os primeiros festivais que, assim como o Palácio, viria a se tornar uma grande atração da cidade.A residência de inverno do Governador do Estado de São Paulo foi construída pelo então interventor federal Adhemar de Barros.

Auditório Cláudio Santoro: Para os que desejam aproveitar sua viagem a Campos do Jordão para conhecer belas paisagem e cultura, não pode deixar de visitar o Auditório Cláudio Santoro.

Estrada de Ferro de Campos do Jordão: Neste sistema há o tráfego intermediário, 19km que ligam as estâncias de Campos do Jordão e Santo Antonio do Pinhal, com trens que trazem atendimento turístico similar. Suas construções obedecem uma linha arquitetônica que se mantém inalterada através dos anos, formando um conjunto harmonioso, típico das ferrovias do passado.

Horto Florestal: é o Parque Estadual de Campos do Jordão, e é um dos 25 parques do estado de São Paulo destinados à observação da natureza.As trilhas em número de seis e auto-guiadas são uma das possibilidades que o parque oferece para um contato mais direto com a natureza:

Trilha da Cachoeira Celestina – Caminhada clássica do Parque com 5 horas de duração, percorrendo a mata atlântica com araucárias e campos de altitude. Nesta trilha é comumencontrar animais e seus rastros, como da onça suçuarana.

Trilha da Pedreira – Caminhada de 2 a 3 horas, passando por uma pedreira de 15 metros, que é ultrapassada com o uso da técnica do RAPPEL (descida com corda e equipamento de Alpinismo), como iniciação ao montanhismo.
Pedra do Baú: Complexo do Baú, formado pela Pedra do Baú, Bauzinho e Ana Chata, é uma das formações rochosas mais impressionantes do Brasil. Este complexo com paredões verticais de até 350 metros, está localizado no Município de São Bento do Sapucaí, nas proximidades de Campos do Jordão. É um dos mais importantes atrativos de eco turismo do Brasil, visitado por pessoas que vão fazer caminhadas e subir pelas escadas de metal, e também praticar montanhismo. Também é um dos paraísos da escalada em rocha do Brasil, procurada por escaladores de todo Brasil e exterior.

Programas Sugeridos para a Pedra do Baú:
Leve: Ir até o Bauzinho, numa caminhada de 10 minutos a partir do estacionamento. Vista da Pedra do Baú e paisagem ao redor.
Intenso: Subir a Pedra do Baú pela Face de Campos do Jordão. Entre sair e voltar até o estacionamento são gastos cerca de 5 horas.
Radical: Após uma caminhada bastante longa, é necessário cruzar uma gruta, e fazer a subida por uma trilha estreita e difícil, com abismos ao lado.

Confesso que não fiz nenhuma trilha. kkk Mas passei um dia maravilhoso!

Veja mais fotos em:

Bitocas,

Ive

Newsletter

Fique por dentro das novidades do blog! Assine abaixo e receba as atualizações direto no seu e-mail!

Blush Viajante - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017