Conexão ou Escala? Saiba como identificar!

14 . abril . 2017

Hey pessoal!

O post de hoje é prático e campeão de perguntas. Quando viajamos de avião e vamos parar em algum lugar antes do destino final, como devemos proceder? Vamos sair ou não do avião. Eis que te digo agora como é fácil descobrir!

Exemplo:

Conexão Blush Viajante

No vídeo abaixo eu te explico tudinho…

 

Uma bitoca!

Um final de semana em Tiradentes – MG

07 . outubro . 2015

Hey pessoal!

Quem leu o meu último post sobre a minha trip a Ilha Grande viu o que aconteceu…

E como eu não aprendi a lição…

Era um lindo sábado de inverno e saímos de casa no Rio de Janeiro às 9 horas da manhã e no meio do caminho, sim, já na estrada, decidimos qual seria o nosso próximo destino  e assim, seguimos rumo à Estrada Real em Minas Gerais.

Confesso que não vi  vestígios conservados de que o ouro por ali passava ou que a família real abriu aquelas estradas, pois além dos marcos a cada 3km, não há uma placa contando a história daquela estrada e/ou daquele trecho, senti uma carência desta riqueza de informações e história. Chegamos em Tiradentes por volta das 16hrs, fomos sem pressa e paramos para almoçar na estrada.

E mesmo eu sendo agente de viagens, ao decidir o destino não nos preocupamos em verificar vaga nas pousadas, simplesmente pensamos: – Ah! Está frio e é baixa temporada , vamos chegar e lá e descolamos uma pousada!

Nananinanão! Tolinhos que somos, ao chegar na cidade, a mesma estava lotada, pois advinhem: estava acontecendo um Festival de Gastronomia e Cultura do Bradesco em parceria com o Senac ,Tradicionalíssimo, com 10 dias de duração  e que reúne chefs e personalidades  da gastronomia nacional e internacional e obviamente a cidade estava lo-ta-da! Mas não desistimos, e fomos mais para fora do centrinho, uns 800 metros e Voilà, achamos uma pousada EL TORO cujo a dona é uma Sra muito amável e simpática , por R$250,00 com direito a café da manhã que por sinal foi maravilhoso, o melhor pão de queijo mineiro que já comi na vida! A pousada é simples, mas aconchegante. Tomamos um banho e partimos para a cidade, que tinha gente para tudo quanto era lado com as suas taças na mão e garrafas de vinho. O festival era muito bem montado, tinham Workshops, degustações, exposições, shows e espetáculos culturais. O evento estava muito bem organizado e com wi-fi free na região do evento, ueba!!!

O que falar da cidade: Sabe Paraty? Então, é bem parecido na arquitetura, estrutura e lojinhas, só que sem as  praias. kkk O centrinho é um pouco menor que Paraty, mas há muitas lojas de Souveniers e artesanato em ferro, madeira de demolição e pedra sabão. Há opções de restaurantes para todos os gostos e bolsos. E movimentação intensa, as lojas abrem as 10hrs e fecham às 23hrs, dá pra comprar até cansar. $$$$$

Já a vizinha São João Del Rey embora não menos linda, é mais grandona, não lembra os tempos antigos, o centro tem umas pontes que lembram Florença e o centrinho,uma igreja linda e imponente, mas é só! Não tem lojinhas de souvenirs, restaurantes, pois como é uma cidade relativamente grande, o comércio é amplo e bem espalhado, não é concentrado como em Tiradentes, mas vale a visita.

Ficamos só 1 noite em Tiradentes, mas recomendo 2 (duas) para conhecer a cidade e seu entorno.  Vale fazer o passeio de Maria Fumaça a São João Del Rey, não fizemos, mas sai às Sextas e sábados 13 e 17hrs e Domingos às 11 e às 14hrs. A melhor agência que nos indicaram para este passeio foi a Tiradentes Estrada Real – WWW.tiradentesestradareal.com.br. Vale a consulta quando for programar!

Então, já que te passei um resuminho, dá uma olhada nesta trip com vídeos e fotos, simbora!

MAPA DA CIDADE:

MAPA DE TIRADENTES MINAS GERAIS

Para você que pretende ir, prepare o bolso porque existem muitos pedágios na estrada, no caminho de ida gastamos: R$85,00 de pedágio. Na volta, como nos perdemos – kkkkk- , acabamos fazendo um outro caminho com menos pedágios – Obaaaa!- .

Então, vem comigo!

 

Uma bitoca e até logo!

VLOG – Um dia em Ilha Grande – Rio de Janeiro – Brasil

04 . outubro . 2015

Hey pessoal!

Tudo bem?

Vocês acreditam que eu não conhecia a Ilha Grande?! Nem eu!kk Mesmo sendo carioca, não conhecia esta gracinha que é a Ilha Grande. E agora em agosto de 2015, acordamos (eu e o Dri) inspirados a ir em uma praia, já que era um sabadão de Sol em pleno inverno, resolvemos ir a praia tirar o branco do escritório, e comecei a fazer Snaps, e quando eu perguntei em que praia iríamos o meu marido disse: Ilha Grande!  Porém, não foi tudo tão bom quanto eu esperava. A começar pelas barcas que saem de Mangaratiba, na baixa só está funcionando a barca oficial da concessionária CCR, sim a mesma da Barca Rio x Niterói. Saída às 08 horas e retorno 17 horas.

Sendo assim, fomos para Conceição de Jacareí, cidade vizinha, há 30 minutos de distância. E pasmem, lá tem lancha rápida de 30 em 30 minutos e escunas quase que de hora em hora. A diferença é que a lancha leva 15 minutos de travessia e custa R$60,00 ida e volta e a escuna 50 minutos por R$40,00 ida e volta. Existem 2 agências que fazem esta travessia, a Objetiva e a Vila Nova Turismo. Todas tem parceria com vários estacionamentos com preço tabelado, há época R$10,00 por dia. Mas atente-se, se marcar que irá retornar no dia seguinte e voltar antes – nosso caso-, o valor pago não é reembolsado. 🙁  Quanto ao barco, é possível marcar o horário e dia de ida e deixar o bilhete da volta em branco, logo em aberto. Por isso, eles dão uma tabela com os horários dos barcos para fins de programação, vide abaixo:Horarios de lancha para ilha grande

Estacionamento que utilizamos, eles nos deixaram um crédito, caso decidamos voltar:Estacionamento perto de Ilha Grande

Na ilha não tem bancos, e o único caixa eletrônico é da Caixa Econômica. E alguns estabelecimentos não aceitam cartões de crédito ou débito.

A parte central da Ilha que é Abraão é uma graça e pequena, ficamos rodando 1 hora atrás de um lugar para ficar e posso dizer que conhecemos toda a Vila do Abraão.

A “melhor” parte da viagem, é que não tinha lugar para a gente dormir, a ilha estava simplesmente lotada! Tinha um evento de corrida, justo no dia seguinte. E a super agente de viagens, quis tirar onda de mochileira e … toin, toin, toin. Quando chegamos, demos uma volta na Ilha procurando pousadas, pois queríamos muito ficar, mas para a nossa surpresa,mesmo sendo inverno e baixa temporada, não haviam lugares para dormirmos, andamos por cerca de 1hora e meia e só achamos 1 hostel com quarto para 6, infelizmente não gostamos de Hostel, eu até gostaria de experimentar, mas Adriano é irredutível 🙁. Então, resolvemos curtir a praia mesmo. Conseguimos um barqueiro para levar a praia de Abraãozinho ao custo de R$10,00 ele disse que tinha uma kitinet por R$150,00 em frente ao cais e topamos, mas não deu muito certo.

Não fizemos o passeio de barco para conhecer a Ilha, fomos apenas a 2 praias , a principal de Abraão e a de Abraãozinho. Mas o passeio de barco completo pela Ilha, custa R$160,00 por pessoa.

Enfim, vamos ter que repetir esta viagem, mas segue um mini vlog com tudo que deu para ver e sentir nesta delícia de ilha.

Uma bitoca e até a próxima!

 

Crédito da imagem destacada: EasyTransfer

Newsletter

Fique por dentro das novidades do blog! Assine abaixo e receba as atualizações direto no seu e-mail!

Blush Viajante - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017