Os 10 hotéis mais românticos do mundo

07 . abril . 2016
Hey pessoal!
Tudo bem?
A revista MAGAZINE TRAVEL+LEISURE, listou os 10 hotéis mais românticos do mundo. Se está pensando na sua lua de mel, que tal dar uma olhada nestas opções antes. E por falar em lua de mel, está chegando o dia mais lindo do ano, dia 13/04 e para comemorar, irei fazer uma semana inteirinha sobre dicas de lua de mel, tudo para os pombinhos apaixonados tornarem a tarefa de escolher o destino ainda mais gostosa e fácil. Quem aí está ansioso?!

01 – Post Ranch Inn, Big Sur, CA

Post Ranch Inn

02 –  Castello di Casole – A Timbers Resort, Casole d’Elsa, Italy

Panoamic-of-Castello-di-Casole

03 – One&Only Palmilla, Los Cabos Resort, San José del Cabo, Mexico

One&Only Palmilla, Los Cabos Resort, San José del Cabo, Mexico

04 – Four Seasons Resort Hualalai, Big Island, HI

Four Seasons Resort Hualalai, Big Island, HI4
05 –  Inn at Little Washington, Washington, VA

Inn at Little Washington, Washington, VA

06 – Ventana Inn & Spa, Big Sur, CA

Ventana Inn & Spa, Big Sur, CA

07 – Four Seasons Resort Punta Mita, Mexico

Four Seasons Resort Punta Mita, Mexico

08 – Auberge du Soleil, Rutherford, CA

Auberge du Soleil, Rutherford, CA
09 – Villa d’Este, Cernobbio, Italy

- Villa d’Este, Cernobbio, Italy
10 – Rosewood Mayakobá, Playa del Carmen, Mexico

Rosewood Mayakobá, Playa del Carmen, Mexico

Uma bitoca!

Você dormiria embaixo d’água?

29 . março . 2016

Hey pessoal!

Tudo bem?

Dubai é a terra onde tudo que parece improvável pode acontecer. O mais novo projeto das empresas que investem na cidade é uma série de casas luxuosas que flutuam no mar que banha a região.

Segundo o Kleindienst Group, responsável pelo projeto, as residências terão três andares e estarão localizadas no meio do oceano, a aproximadamente quatro quilômetros da costa de Dubai.
dubai1
No projeto, o quarto principal será o andar da casa que estará completamente submerso. Uma janela panorâmica separa o morador do oceano e do coral artificial que será montado especialmente para entreter os que moram na casa. Um dos motivos para a criação é atrair a vida marinha que já existe no oceano para o local.

Nos outros andares, que ficam sobre a superfície, a residência contará com uma espaçosa sala, uma jacuzzi ao ar livre e mirantes para observar a arquitetura da cidade e do golfo Pérsico.
projeto dubaiNo entanto, os interessados em passar alguns dias do ano em uma casa flutuante terão que desembolsar uma pequena fortuna. O preço de cada uma dessas residências está previsto em US$ 2,7 milhões, cerca de R$ 10 milhões.
sala dubai

Se você tivesse essa grana, dormiria em uma casa assim? Conta aí!

Uma bitoca!

Qual país é paraíso fiscal?

04 . março . 2016

Hey pessoal!

Para dirimir as dúvidas do post passado (Esse aqui),  em relação às remessas de acordo com a Medida Provisória 713 que vigora até 2019 (inclusive) seguem algumas considerações:

  • Foi baixado o imposto para 6,38%.
  • Agências e operadoras de viagens não tem limite de remessa.
  • Para países considerados como paraíso fiscal a isenção é até R$ 10.000,00 comprovada a existência operacional da empresa.
  • A medida provisória vale a partir da data de sua publicação mas precisa ser ratificada pelo Congresso Nacional.
  • Os impostos previstos para estas remessas são; os 6,38% de IRRF e 0,38% de IOF.

Todos os pagamentos feitos deverão seguir estas regras e serão automaticamente transmitidos ao sistema SICOSERV.

Seguem os países considerados como paraísos fiscais pelos governo brasileiro:

I – Andorra;

II – Anguilla;

III – Antígua e Barbuda;

IV – Antilhas Holandesas;

V – Aruba;

VI – Ilhas Ascensão;

VII – Comunidade das Bahamas;

VIII – Bahrein;

IX – Barbados;

X – Belize;

XI – Ilhas Bermudas;

XII – Brunei;

XIII – Campione D’ Italia;

XIV – Ilhas do Canal (Alderney, Guernsey, Jersey e Sark);

XV – Ilhas Cayman;

XVI – Chipre;

XVII – Cingapura;

XVIII – Ilhas Cook;

XIX – República da Costa Rica;

XX – Djibouti;

XXI – Dominica;

XXII – Emirados Árabes Unidos;

XXIII – Gibraltar;

XXIV – Granada;

XXV – Hong Kong;

XXVI – Kiribati;

XXVII – Lebuan;

XXVIII – Líbano;

XXIX – Libéria;

XXX – Liechtenstein;

XXXI – Macau;

XXXII – Ilha da Madeira;

XXXIII – Maldivas;

XXXIV – Ilha de Man;

XXXV – Ilhas Marshall;

XXXVI – Ilhas Maurício;

XXXVII – Mônaco;

XXXVIII – Ilhas Montserrat;

XXXIX – Nauru;

XL – Ilha Niue;

XLI – Ilha Norfolk;

XLII – Panamá;

XLIII – Ilha Pitcairn;

XLIV – Polinésia Francesa;

XLV – Ilha Queshm;

XLVI – Samoa Americana;

XLVII – Samoa Ocidental;

XLVIII – San Marino;

XLIX – Ilhas de Santa Helena;

L – Santa Lúcia;

LI – Federação de São Cristóvão e Nevis;

LII – Ilha de São Pedro e Miguelão;

LIII – São Vicente e Granadinas;

LIV – Seychelles;

LV – Ilhas Solomon;

LVI – St. Kitts e Nevis;

LVII – Suazilândia;

LVIII – Suíça; (revogado)

LIX – Sultanato de Omã;

LX – Tonga;

LXI – Tristão da Cunha;

LXII – Ilhas Turks e Caicos;

LXIII – Vanuatu;

LXIV – Ilhas Virgens Americanas;

LXV – Ilhas Virgens Britânicas.

 

Agora é só esperar o dólar baixar e partiu conhecer o mundo…

 

Crédito da foto: supercuriosos.com

Hoverboard – Skate Motorizado em viagens, pode?!

03 . março . 2016

Hey pessoal!

Tudo bem?

Vocês já ouviram falar ou viram um Hoverboard, não é? Aquele skate elétrico que virou febre entre os americanos, principalmente os artistas.  Esse mesmo!

hoverboard

O equilíbrio no hoverboard é mantido por um conjunto de sensores, que lê a inclinação do corpo do usuário para interpretar seus comandos. Se você se inclina para a frente, a placa eletrônica interpreta que você deseja que os motores movam a prancha para a frente. Se o corpo vai para trás, o movimento é de ré. Para evitar quedas, há um giroscópio que ajuda a calibrar a velocidade das rodas. O equipamento registra a inclinação do usuário e a placa que controla o dispositivo usa o valor para determinar a quanta velocidade os motores precisam empurrar as rodas para anular a tendência de queda. Para virar, o procedimento é bem simples e intuitivo: para ir para a direita, o condutor deve fazer pressão com o lado esquerdo do corpo. Isso vai fazer com que o conjunto giroscópio-placa eletrônica façam com que a roda esquerda acelere e a direita diminua de velocidade, fazendo a curva para a direita.

Elétricos, os hoverboards funcionam à bateria e, na maioria dos casos, prometem autonomia de até duas horas de uso. E é aí que entra o sentido desta postagem sobre este aparto aqui no blog: O viajante que estiver planejando comprar um hoverboard nos Estados Unidos não poderá embarcar com ele para o Brasil. Todas as companhias aéreas americanas barraram a presença do brinquedo a bordo, pelo risco de explosões e incêndios provocados por suas baterias de lítio. 🙁

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos não recomenda que passageiros despachem baterias extras na mala, pois elas podem se inflamar durante o voo e causar um incêndio no compartimento de bagagem e em recomendação da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) as empresas aéreas estão sendo recomendadas a proibir o transporte de hoverboards (skates motorizados) em seus aviões tanto na cabine como bagagem de mão.

E desde o dia 25/02/2016, todas as empresas aéreas americanas já proibiram o transporte de hoverboard em seus voos, tanto despachados como bagagem ou levados na cabine como bagagem de mão.

 

 

Então fique ligado para não comprar e não ter como trazer para o Brasil.

Uma bitoca e até a próxima!

Crédito das fotos: Segway e Smart Balance
Crédito das infos do Hoverboard: TechTudo

Imposto para viagens será de “apenas” 6,38%

02 . março . 2016

Hey pessoal!

Boa notícia!

No dia 27 de janeiro eu avisei aqui sobre o imposto de 25% que havia sido aprovado para as viagens ao exterior, mas graças ao santo padroeiro das viagens, o governo reduziu o imposto sobre a taxa de remessa para serviços turísticos  de 33,33% para 6,38% válido a partir de hoje. Esta taxa esta sujeita a um limite de R$ 20.000,00 por mês por passageiro e não vale para países considerados pelo governo brasileiro como paraísos fiscais. Segue abaixo a publicação do diário oficial de hoje:

“Art. 60. Até 31 de dezembro de 2019, fica reduzida a 6% (seis por cento) a alíquota do Imposto de Renda Retido na Fonte incidente sobre os valores pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos para pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no exterior, destinados à cobertura de gastos pessoais, no exterior, de pessoas físicas residentes no País, em viagens de turismo, negócios, serviço, treinamento ou missões oficiais, até o limite global de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) ao mês, nos termos, limites e condições estabelecidos pelo Poder Executivo.

§ 2º Salvo se atendidas as condições previstas no art. 26, a redução da alíquota prevista no caput não se aplica ao caso de beneficiário residente ou domiciliado em país ou dependência com tributação favorecida ou de pessoa física ou jurídica submetida a regime fiscal privilegiado, de que tratam os arts. 24 e 24-A da Lei no 9.430, de 1996.

§ 3º As operadoras e agências de viagem, na hipótese de cumprimento da ressalva constante do § 2º, sujeitam-se ao limite de R$ 10.000,00 (dez mil reais) ao mês por passageiro, obedecida a regulamentação do Poder Executivo quanto a limites, quantidade de passageiros e condições para utilização da redução, conforme o tipo de gasto custeado.

§ 4º Para fins de cumprimento das condições para utilização da alíquota reduzida de que trata este artigo, as operadoras e agências de viagem deverão ser cadastradas no Ministério do Turismo e suas operações deverão ser realizadas por intermédio de instituição financeira domiciliada no País.” (NR)

Art. 2º Não estão sujeitas à retenção na fonte do imposto sobre a renda:

I – as remessas destinadas ao exterior para fins educacionais, científicos ou culturais, inclusive para pagamento de taxas escolares, de taxas de inscrição em congressos, conclaves, seminários ou assemelhados e de taxas de exames de proficiência; e

II – as remessas efetuadas por pessoas físicas residentes no País para cobertura de despesas médico-hospitalares com tratamento de saúde, no exterior, do remetente ou de seus dependentes.

Art. 3º Esta Medida Provisória entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 1º de março de 2016; 195º da Independência e 128º da República.

DILMA ROUSSEFF
Nelson Barbosa

Ufa, enfim, agora podemos voltar a viajar!

Uma bitoca!

Páginas     123456789... 17»

Newsletter

Fique por dentro das novidades do blog! Assine abaixo e receba as atualizações direto no seu e-mail!

Blush Viajante - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017